O ministro Gilmar Mendes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), confirmou hoje (1º) que somente em torno de 30 mil urnas eletrônicas estarão aptas a emitir o voto impresso nas eleições do ano que vem, ou seja, somente cerca de 5% dos votos serão impressos, visto que seria necessário a aquisição de 600 mil novas urnas eletrônicas, a um custo estimado de R$ 2 bi, para atender o que foi aprovado pelos parlamentares em 2016.

É necessário estar atento no que se refere aos critérios de alocação geográfica destas urnas, que serão objeto exame por parte dos partidos e candidatos quanto a efetividade desta nova solução. Espera-se que surjam casos de solicitação de recontagem de votos e possíveis processos de impugnação em razão de divergência.

 

Assessoria de Comunicação
Oliveira Freitas Advogados
contato@oliveirafreitas.adv.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *